Quem precisa devolver o auxílio emergencial?

Post Em Vídeo Animado Para Redes Sociais De Contadores E Advogados - Contabilidade em Barueri - SP | Lobato Contabilidade

Compartilhe nas redes!

Quem precisa devolver o auxílio emergencial?

A notícia de que o auxílio emergencial deveria ser devolvido assustou muito gente. Mas afinal, todos precisam devolver? E quantas parcelas devem ser devolvidas? Como devolver?

Se você recebeu o auxílio emergencial e possui essas e outras dúvidas, continue lendo este artigo e entenda.

 

O que é o auxílio emergencial?

O auxílio emergencial foi um benefício financeiro criado em 2020 pelo governo federal para auxiliar os cidadãos a enfrentarem a pandemia do Covid-19. O objetivo do benefício foi garantir renda mínima aos cidadãos que estivessem em situação de vulnerabilidade.

O benefício correspondia ao valor de R$600,00 mensais.

Inicialmente seria devido 3 parcelas, que posteriormente foram prorrogadas com mais 7 parcelas no ano 2021.

 

Quem tinha direito ao benefício?

O benefício foi concedido aos cidadãos que se enquadrassem nos requisitos abaixo:

  • Ser maior de idade (ter 18 anos de idade ou mais);
  • Não possuir emprego formal (registrada na CLT ou ser servidor público) no momento da solicitação do benefício;
  • Não receber nenhum tipo de benefício previdenciário do INSS (aposentadoria, Auxílio Doença, etc.), benefício assistencial (Benefício de Prestação Continuada – BPC), Seguro Desemprego, ou outro programa de transferência de renda federal com exceção de Bolsa Família;
  • Cada integrante da família deveria receber até meio salário mínimo (R$ 522,50 em 2020) mensalmente ou ter uma renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135,00);
  • Não ter recebido mais de R$ 28.559,70 em 2018 (faixa de isenção do Imposto de Renda);
  • Ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico), autônomo, desempregado, contribuinte individual ou Microempreendedor Individual (MEI).
  • O recebimento do auxílio emergencial era limitado a 2 membros da mesma família.

Para mães que cuidavam sozinha da família e se enquadrasse nos requisitos, era devido o valor em dobro, ou seja R$1.200,00 mensais.

 

Quem deve devolver o dinheiro?

Segundo informações divulgadas pelo Ministério da Economia, cerca de 2,6 milhões de pessoas receberam o valor de forma indevida e terão que devolver aos cofres públicos.

Dentre os motivos para devolução estão as pessoas que possuíam renda acima do limite, cargos eletivos, servidores públicos e até contribuintes com CPF irregular.

O Ministério da Cidadania notificou os beneficiários que receberam indevidamente através de SMS com informações a respeito da devolução.

O governo elaborou também um site para que o beneficiário possa consultar se deve devolver o dinheiro. Esta consulta pode ser feita em https://devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao/consulta-pbf digitando seu CPF e data de nascimento ou número do NIS.

 

Como devolver o auxílio emergencial?

O Ministério da Cidadania elaborou uma página exclusiva para devolução de valores. Você pode acessá-la pelo endereço https://devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao

Primeiramente deverá informar se é beneficiário do Bolsa Família ou não.

Se você for beneficiário do Bolsa Família, deverá informar seu CPF e NIS. Caso não seja, o acesso será feito através do CPF apenas.

Após preencher todos os dados, o sistema emitirá uma guia chamada GRU para recolhimento dos valores.

 

Auxílio emergencial no imposto de renda

Para contribuintes que tenham recebido no ano 2020 rendimentos superiores a R$22.847,76 e que tenham recebido além desses rendimentos o auxílio emergencial, a Receita colocou como obrigatório o envio da declaração de imposto de renda relativa ao exercício 2021 com a necessidade de informar além dos rendimentos obtidos, também o valor referente ao auxílio emergencial recebido por ele e por seus dependentes.

Contribuintes neste perfil receberam de forma indevida o benefício e deverão, portanto, devolver o valor o recebido.

Após o envio da declaração, o contribuinte receberá uma notificação e também o DARF para pagamento do valor corrigido.

 

O que acontece se o auxílio não for devolvido?

O beneficiário que tiver recebido indevidamente terá o prazo de 30 dias após a notificação para efetuar o pagamento, solicitar o parcelamento ou contestar a dívida.

Caso não seja feita a devolução ou contestada a dívida, o beneficiário será considerado inadimplente e terá seu nome inscrito na Dívida Ativa da União.

Além disso, caso o contribuinte esteja obrigado a entregar a declaração de Imposto de Renda e não fizer, terá seu CPF bloqueado pela Receita Federal e deverá pagar multa mínima de R$165,74 e máxima de 20% sobre o valor do imposto devido.

 

Você tem dúvidas sobre a devolução do auxílio emergencial ou precisa de ajuda para entregar sua declaração de imposto de renda? Clique aqui e fale com nossos especialistas.

 

 

Classifique nosso post

Preencha o formulário abaixo para entrar em contato conosco!

Últimos Posts:
Categorias
Arquivos

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

Veja também

Posts Relacionados

Como Abrir Uma Empresa - Contabilidade em Barueri - SP | Lobato Contabilidade

Como abrir uma empresa? Depois de anos trabalhando como CLT você decidiu que é o momento certo para empreender, mas não sabe nem por onde

Certificado Digital (post Para Instagram (quadrado)) (3) - Contabilidade em Barueri - SP | Lobato Contabilidade

O que é Certificado Digital

O certificado é como um documento virtual que permite a identificação incontestável do autor de uma mensagem ou transação feita em meios eletrônicos. Funciona a

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Recomendado só para você
Por que ter um contador?   Todos os dias em…
Cresta Posts Box by CP
Www.contabilidadelobato.com.br - Contabilidade em Barueri - SP | Lobato Contabilidade